Relembre os assuntos que foram destaque na semana

Comandante diz que PM morta com família denunciou colegas por roubo

Filho de 13 anos é suspeito de assassinar família de PMs e se suicidar

Na segunda-feira, dia 5, foram encontrados os corpos da cabo Andréia Regina Pesseghini, 36 anos, do sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, 40 anos, da mãe da policial militar, Benedita de Oliveira Bovo, 67 anos, da tia da policial, Bernadete Oliveira da Silva, de 55 anos, e do filho do casal Marcelo Eduardo Pesseghini, 13 anos, todos mortos com tiros na cabeça, em duas casas da família que ficam no mesmo terreno, em Brasilândia, zona norte de São Paulo.

De acordo com a principal linha de investigação da polícia, Marcelo matou os parentes, dirigiu o carro da família até a escola, onde foi à aula, pegou carona com o pai de um colega e, ao chegar  em casa, se matou.

Na quarta-feira, dia 7, o comandante do 18.º Batalhão da Polícia Militar, coronel Wagner Dimas, chefe de Andréia, contestou a versão da polícia e afirmou que a cabo havia denunciado colegas de trabalho por envolvimento com roubo de caixas eletrônicos. No entanto, após a declaração ganhar repercussão internacional, Dimas voltou atrás e negou que tenha ocorrido qualquer denúncia. Na sexta-feira, dia 9, a casa da família amanheceu pichada com a frase "que a verdade seja dita".

Sarney tem melhora e recebe alta da UTI

Um boletim médico divulgado na segunda-feira, dia 5, pelo Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, informou que o senador José Sarney (PMDB-AP), 83 anos, apresentou melhora e recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). De acordo com a instituição, o político continua sendo tratado com antimicrobianos e foi encaminhado à Unidade Semi-Intensiva. No entanto, a nota não traz nenhuma previsão de alta.

O peemedebista deu entrada no domingo, dia 28, no Hospital UDI, em São Luís, onde recebeu tratamento contra uma “infecção respiratória aguda” após passar mal no casamento de uma das netas. Na quarta-feira, dia 31, Sarney recebeu alta e se dirigiu para São Paulo e se internou no Sírio-Libanês. Na quinta-feira, dia 1.º, após apresentar "quadro de febre acompanhado de tremores", exames detectaram o acúmulo de líquido entre as membranas do pulmão e os médicos decidiram transferir o senador para a UTI.

Executivo da Siemens diz que Serra sugeriu acordo em licitação; tucano nega

Um e-mail enviado por um executivo da empresa alemã Siemens a seus superiores, em 2008, relata que o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) sugeriu à multinacional um acordo para evitar que uma disputa empresarial travesse uma licitação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), publicou na quinta-feira, dia 8, o jornal "Folha de S. Paulo".

A mensagem descreve um encontro com Serra, que sugere um acordo entre a companhia e a rival espanhola CAF, que ofereceu preços mais competitivos, para tentar evitar a ameaça da Siemens de questionar na Justiça o resultado da concorrência caso não saísse vitoriosa.

Na sexta-feira, dia 9, o tucano publicou uma mensagem em sua página no Facebook negando a formação de um acordo com empresas que participaram da licitação. Segundo ele, a compra de 40 trens, foi uma "verdadeira ação anti-cartel".  "Como se comprova com facilidade não houve nenhum acordo com empresas para limitar a concorrência."

MP diz que há provas de cartel e abre inquérito; Alckmin cria grupo para apurar crime

O promotor de Justiça Marcelo Mendroni deu uma entrevista coletiva sobre a investigação das suspeitas de formação de cartel na sexta-feira, dia 9, na qual afirmou que há provas de que as empresas envolvidas nesses tipos de delitos podem ser consideradas "organizações criminosas” e que o Ministério Público irá abrir um inquérito para apurar a denúncia. De acordo com Mendroni, os representantes das empresas podem ser punidos com penas de 20 a 45 anos de prisão por participação no cartel e fraude na licitação em cinco ocorrências.

Também na sexta, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou a criação de uma comissão externa para acompanhar as investigações das denúncias de formação de cartel, que será formada por representantes de entidades e organizações da sociedade civil. Entre os convidados para formar o grupo estão a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a organização Transparência Brasil e o Instituto Ethos.

Buscas por Amarildo terminam sem sucesso; testemunha acusa pedreiro de envolvimento com o tráfico

As buscas realizadas na quarta-feira, dia 7, por 50 policiais civis e bombeiros, com a ajuda de cães farejadores, atrás do corpo do ajudante de pedreiro Amarildo Souza na favela da Rocinha terminaram sem êxito. Uma denúncia anônima informou que um corpo estaria em um matagal na comunidade.

Na quinta-feira, dia 8, o ex-delegado-adjunto da 15ª DP (Gávea), Ruchester Marreiros, apresentou um vídeo em que uma testemunha afirma ter sido torturada na casa de Elisabete Gomes da Silva, esposa de Amarildo, desaparecido desde o dia 14 de julho. O agente acusa o casal de ter ligação com o tráfico de drogas. Segundo Marreiros, eles eram responsáveis por guardar material e drogas para o tráfico. No entanto, o delegado titular, Orlando Zaccone, confirmou ter recebido os dados, mas não concordou com a prisão de Bete, pois considera que não há provas contra os dois.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.