Sabrina Sato torce por auditório em programa na Record: “Adoro o público”



Para Sabrina Sato, 2014 é um ano de mudanças. Mas a afirmação não se refere apenas a sua saída do “Pânico na Band”. Como o BLOG RAVIER  já havia publicado, a ex-repórter apareceu loira para promover uma marca de tintura para os cabelos em evento realizado nesta quarta-feira (15).
Em conversa com o UOL, Sabrina disse que clareou os fios para estrear seu novo programa ainda este ano na grade da Record. “Minha mãe falou que eu pintei o cabelo para ficar como a Hebe“, brincou ela que além de Hebe, tem Oprah Winfrey e Angélica como referência.
Sem entrar em detalhes sobre a atração, Sabrina limitou-se a dizer que deseja fazer um programa que “tenha a sua cara”, de preferência com auditório: “Adoro o público, pessoas, contar histórias. Quero que os artistas se sintam bem em vir ao meu programa e que queiram voltar. Quero que seja algo como a minha casa“.
 A Japa fez piada mais uma vez com a escolha: “Não posso falar nada ainda, vou fazer o teste do sofá para saber se aprovo o diretor”. A nova loira da TV também acredita que a atração terá o humor como característica: “Quero que seja engraçado, sem precisar fazer graça”, disse.
Questionada se ficou chateada com as críticas feitas por Tutinha, Sabrina comparou a relação entre eles como o fim de um namoro: “Entendo essa chateação, mas depois passa, tenho carinho por todos eles [do 'Pânico' e 'Jovem Pan']“. E explicou que não se despediu por não haver necessidade: “O público vai me ver em breve”.
Sabrina acredita que a sua ida para a Record foi um jeito de sair da zona de conforto: “Nunca fui acomodada na minha vida, precisava dessa mudança. Poderia ficar no ‘Pânico’, ganhando bem, fazendo minha publicidade, mas agarrei essa oportunidade. Segui meu coração”.
Sabrina contou que iniciará aulas de fonoaudiologia: “Quero melhorar minha dicção, falar devagar e ser entendida pelo público“. Quanto aos comentários de que não deveria ter aceitado a proposta de comandar sozinha uma atração, Sabrina acredita que isso faz parte. “Sempre vão falar alguma coisa, preciso escutar quem torce por mim e darei o meu melhor. Se fosse pelos comentários ruins eu nunca teria saído de Penápolis, não teria feito teste para bailarina do Faustão, não teria entrado no ‘BBB’ nem no ‘Pânico’”, encerrou.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.