Malásia diz que comunicação do Boeing 777 foi desligada propositalmente




O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, disse neste sábado (15/03) que o avião da Malaysia Airlines teve seu sistema de transmissão provavelmente desligado de forma intencional e, desviado de sua rota original, voou por sete horas até perder o contato. O voo MH370, desaparecido desde o dia 8 de março, levava 239 pessoas a bordo.
De acordo com Razak, em coletiva de imprensa transmitida pela televisão, a última comunicação via satélite com a aeronave foi registrada mais de seis horas e meia depois de o avião ter desaparecido do radar civil. Apesar das informações, o primeiro-ministro não quis confirmar um possível sequestro da aeronave.
"Mesmo com as informações da mídia de que o avião foi sequestrado, gostaria de deixar muito claro que continuamos investigando todas as possibilidades sobre o motivo que teria levado o avião a se desviar de sua trajetória", afirmou Razak.
De acordo com o primeiro-ministro, o anúncio transmitido pela televisão tinha como base novas informações de contato via satélite com o Boeing 777-200 e dados recolhidos por radares militares.

As informações atualizadas sugerem "com um elevado grau de certeza" que os dois sistemas de comunicação do avião – o ACARS (Sistema Dirigido de Comunicação e Informação da Aeronave, na sigla em inglês) e o seu transponder, que envia informações automáticas sobre o número do voo, posição, velocidade e altura – foram desligados, um depois do outro, antes de alcançarem o ponto acima do Mar do Sul da China, em que o radar civil perdeu o contato.
Busca entra em nova fase
Dado que a última localização via satélite com o avião da Malaysia Airlines chegou às 8h11 (hora local) – o avião decolou à 0h41 (hora local) –, os investigadores tentam agora calcular quão longe o avião poderá ter chegado, indicou o primeiro-ministro malaio. De acordo com a companhia aérea, a aeronave tinha combustível para cerca de 7 horas e meia de voo.
Até o momento, especialistas localizaram esse último ponto de contato entre dois grandes corredores geográficos: um ao norte, que se estende da fronteira do Cazaquistão e do Turcomenistão até o norte da Tailândia; e outro ao sul, que vai da Indonésia ao sul do Oceano Índico.
"As buscas entraram em uma nova fase. Esperamos que esta nova informação nos aproxime de sua localização", afirmou o primeiro-ministro. "Estamos finalizando as operações no Mar do Sul da China e reavaliando a realocação dos nossos ativos e trabalhando com os países no sentido de requerer informações relevantes para as buscas, incluindo dados de radares."
Pouco antes do anúncio do primeiro-ministro malaio, uma emissora chinesa informou, citando fontes que não quiseram se identificar em Kuala Lampur, que os investigadores estão convencidos de que o avião foi sequestrado.
A aeronave, que partiu de Kuala Lampur do sábado e tinha previsão de chegada a Pequim após 6 horas de voo, desapareceu dos radares após 40 minutos de voo. O Boeing transportava 239 pessoas, sendo 227 passageiros e uma tripulação de 12 malaios.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.