MS sente efeito do novo vírus e para atividades


O que parecia ser muito distante para o morador de Mato Grosso do Sul surgiu no fim de semana: os casos confirmados do novo coronavírus. A chegada do agente causador da Covid-19, doença que deixa o mundo em alerta desde o início do ano, provocou um efeito cascata de medidas preventivas.
Em Campo Grande, as aulas na Rede Municipal de Educação (Reme) serão suspensas a partir de quarta-feira (18), e eventos com mais de 100 pessoas estão proibidos pelos próximos 15 dias. As regras estarão em decreto que deve ser publicado nesta segunda-feira (16).  
Quem também deve anunciar as medidas de prevenção ao alastramento do novo coronavírus é o governo de Mato Grosso do Sul. O Correio do Estado apurou que a suspensão das aulas na Rede Estadual de Ensino (REE) também é cogitada; ainda não há uma definição clara se ela valeria apenas para cidades com casos confirmados, como Campo Grande, ou para todo o Estado.  
Os dois primeiros casos do novo coronavírus em Mato Grosso do Sul foram confirmados na Capital no sábado. Tratam-se de uma estudante de 23 anos que contraiu a Covid-19 do namorado, que está em São Paulo, e de um rapaz de 31 anos, que também voltou da capital paulista com o vírus. A garota está em isolamento domiciliar, e o rapaz está internado em um hospital particular.  
O senador Nelson Trad Filho (PSD), que está em Brasília (DF) e não retornou a Campo Grande desde que chegou de viagem oficial aos Estados Unidos, também contraiu o novo coronavírus e está isolado em casa.
No decreto que começou a ser discutido ontem, além da suspensão das aulas, que começa na quarta-feira, estão previstas outras medidas para evitar a disseminação do vírus, como a proibição de eventos, sessões de cinema e celebrações religiosas com mais de 100 pessoas.
A estudante Thayany Silva, 23 anos, um dos casos confirmados do novo coronavírus na Capital, esteve na boate Valley na véspera do exame que atestou sua infecção. Todos os funcionários da boate, que suspendeu suas atividades, fizeram exame neste fim de semana.  
O prefeito Marcos Trad suspendeu as férias dos funcionários da saúde, sem prejuízo dos direitos trabalhistas. O objetivo é reforçar o atendimento. A compra de mais 60 leitos hospitalares na rede privada pelo município também vai neste sentido.
DECISÃO
Na rede particular de ensino, as medidas ainda devem ser definidas a partir desta segunda-feira, após encontro dos representantes de estabelecimentos privados. Porém, ontem algumas instituições de ensino já começaram a tomar medidas para tentar frear o avanço do vírus no Estado.  
A Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) decidiu suspender as atividades acadêmicas presenciais a partir de hoje (16), com aulas sendo mantidas via Educação à Distância (EAD) para garantir o cumprimento do calendário acadêmico.
A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – que é pública, mas se junta as demais por oferecer Ensino Superior –, Uniderp e Unigran Capital informaram que as aulas estão mantidas e reunião será realizada hoje (16) para definir estratégias de enfrentamento.
Para formalizar quais procedimentos serão adotados nas universidades para a prevenção do coronavírus, haverá reunião com o governo do Estado e reitores da UFMS, UCBD, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Uniderp e Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Pelo Estado, participam os secretários estaduais de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Corrêa Riedel, e o da Saúde, Geraldo Resende.
Para conter vírus, instituições se unem
Atualmente, as instituições de Ensino Superior já têm adotado medidas de prevenção e contenção do coronavírus, com implementação de Comitês Operativos de Emergência do Covid-19 e definição de protocolos e notas técnicas com orientações para profissionais, técnicos e estudantes.
Entre estas medidas estão o cancelamento de eventos e atividades em locais fechados com aglomeração de pessoas, cancelamento de viagens nacionais e internacionais a serviço, disponibilização de álcool gel nas áreas de circulação e no acesso a salas de reuniões e gabinete, proibição de frequentar o campus a alunos e funcionários que retornarem de áreas de risco, entre outros.
Na UCDB, além da suspensão das aulas do dia 16 ao dia 31 de março, também foram suspensas atividades do curso de idiomas e do Museu das Culturas Dom Bosco, atendimentos dos projetos e laboratórios de extensão e missas na Paróquia Universitária Dom Bosco, e mantidos os atendimentos nas Clínicas-Escola, no Hospital Veterinário e na biblioteca.
Pelo menos duas escolas de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio emitiram comunicados ontem informando que alunos com sintomas do Covid-19 não devem ir às aulas, que por enquanto serão mantidas.  
“Uma escola deve suspender a aula, pois os pais de um aluno que estavam internados na Capital com problemas respiratórios foram para São Paulo fazer tratamento e lá foram diagnosticados com coronavírus. A UCDB decidiu suspender porque a jovem que estava com o vírus frequentou solenidades que ocorreram lá [formatura, com a presença de funcionários e alunos da instituição]”, explicou Maria da Glória Barcellos, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Mato Grosso do Sul (Sinepe/MS).
“Precisamos ter uma uniformidade das decisões para tranquilizar nossa comunidade universitária de que estamos tendo todo o cuidado nesse momento tão difícil para o nosso estado e país”, afirmou o reitor da UFMS, Marcelo Turine.
FONTE: correio do estado

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.